quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dicas nutricionais para os lanches escolares.


A escola é certamente um local onde os hábitos alimentares saudáveis devem ser ensinados, estimulados e praticados. Porém, cabe à família a manutenção das práticas saudáveis aprendidas pelo filho também dentro de casa.




A alimentação na escola é de extrema importância, pois garante energia para o próximo período de aula, proporcionando maior capacidade de concentração e memória.



Devem ser evitados longos períodos em jejum e por isso, destaca-se também a importância da realização de um café-da-manhã saudável, o que comprovadamente contribui para o maior desempenho escolar.



O lanche na escola deve ser simples, pois representa uma refeição intermediária, já que logo que a criança chegar em casa contará com uma grande refeição como o almoço ou jantar, dependendo do horário de estudo. Contudo, ser simples não significa ser incompleta em termos nutricionais.



O lanche deve incluir um alimento do grupo dos carboidratos:pães, bolos sem recheios, torradas e cereais. Os carboidratos devem conter gêneros integrais também. Além desse grupo, deve também incluir um alimento do grupo do leite e derivados, como os iogurtes, de preferência aqueles enriquecidos com frutas e fibras.



O ideal seria incluir também um alimento do grupo das frutas ou sucos naturais. As frutas devem ser as mais variadas possíveis, respeitando a aceitação da criança, pois cada fruta possui vitaminas e minerais diferentes, embora todos sejam importantes para o bom crescimento e desenvolvimento infantil.





Chocolates, balas e doces não estão proibidos na alimentação da criança, mas deve ser evitado o consumo diário e em excesso desses alimentos, já que normalmente possuem açúcares e gordura em quantidades excessivas. Sugere-se que quando consumidos, esses alimentos devam ser combinados com outros mais nutritivos, como um suco de fruta natural ou um sanduíche leve.



A crença de que todo sanduíche é ruim não está correta. Alguns podem ser bem bequilibrados quando os ingredientes são combinados da forma correta. Como exemplo pode-se citar um sanduíche feito com pão (preferencialmente integral, fonte de fibras), uma fatia de queijo (que oferecerá proteína e cálcio) e cenoura que oferece fibras, vitaminas e minerais variados.



Vale ressaltar que, na montagem do lanche escolar, a criatividade contribui muito para estimular a criança a consumi-lo adequadamente e evitar a monotonia do cardápio. Envolvê-la na decisão e até mesmo no preparo de seu próprio lanche, com auxílio dos pais ou responsáveis, contribui para a educação nutricional do mesmo, porém não deixe de fazer a oferta das sugestões, caso contrário a criança sugerirá apenas alimentos preferidos por ela e isso significa que eles poderão não ser os mais adequados.



Muitas crianças optam por comprarem seus lanches nas lanchonetes da escola. Para que a criança possa fazer uma opção saudável, é necessária a colaboração por parte tanto da cantina escolar, com o oferecimento de opções saudáveis, adotando programas de educação nutricional, que ensinem a criança a tomar suas próprias decisões quanto a sua alimentação.



É necessário que a criança tenha conhecimento e informação suficiente para decidir o que é certo ou errado sobre sua alimentação, e portanto a simples proibição de alimentos na escola não significa que a criança tenha compreendido e incorporado hábitos alimentares saudáveis e desejáveis.

Por fim, conclui-se que medidas educativas e estímulo positivo ainda são as melhores opções para a conscientização na hora de escolher.

Débora Rosa
CRN3 15777

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram