terça-feira, 16 de novembro de 2010

Dicionário das frutas na gestação

O ganho de peso gestacional é tão natural quanto necessário. É através dele que se mede a evolução da gestação, o estado nutricional materno fetal e garante a adequação das reservas nutricionais da mãe durante a gestação e após o parto.

Não é fácil determinar qual é o incremento de peso “ideal”, pois é preciso realizar uma avaliação clínica, antropométrica e obter dados da rotina pessoal dessa mamãe para fazer uma estimativa de ganho de peso, mas em linhas gerais estima-se que não deve ultrapassar os 12 a 14 quilos.

O ganho de peso durante a gestação não é a única preocupação para o nutricionista. Nosso cuidado se estende até o consumo quantitativo e qualitativo de alimentos. 

Sugere-se que a futura mamãe realize a matemática dos grupos alimentares, sempre procurando atingir as recomendações estipuladas para cada caso após minuciosa avaliação.

Em média, é necessário que a gestante consuma de 4 a 5 porções de frutas por dia, a fim de garantir  o consumo de vitaminas e nutrientes importantes envolvidos no crescimento e desenvolvimento do bebê.

Segue abaixo um dicionário com o resumo das propriedades das principais frutas consumidas em nosso país, confira:

Abacaxi (38 cal./ fatia)


É fonte de vitamina C, importante para o fortalecimento do sistema imunológico e da placenta. Tanto a fruta como o chá feito com sua casca são indicados para aliviar enjôos.

 Abacate (230 cal./1/2 unid.):

Contém ácido fólico, que previne a má formação do feto e afasta o risco de abortos e partos prematuros. Apesar de todos esses benefícios, a fruta deve ser consumida com moderação pois é muito calórica.

- Ameixa (9 cal./unid.):
Suas fibras evitam a prisão de ventre, muito comum na gravidez. Existe também a versão "passa", que pode ser misturada com água para ser tomada no dia seguinte.

- Banana-nanica (95 cal./unid.):

Boa fonte de vitamina B6 e de potássio que evitam, respectivamente, náuseas e vômitos, típicos do início da gravidez. Protege também das cãibras durante a atividade física e o sono.

- Caju (51 cal./unid.):

Rico em vitamina C, facilita a absorção do ferro pelo organismo, mineral fundamental para a formação das células sangüíneas do bebê. Especialistas afirmam que a fruta tem efeito diurético, reduzindo o inchaço.

- Caqui (59 cal./unid.):

É fonte de vitamina C, importante para o fortalecimento do sistema imunológico e da placenta. Tanto a fruta como o chá feito com sua casca são indicados para aliviar enjôos.

- Carambola (37 cal./unid.):

Oferece vários nutrientes, dentre eles o cálcio, que estocado durante a gestação garante a produção do leite materno.

- Figo (54 cal./unid.):

Apresenta baixo teor de acidez, por isso é recomendado para as gestantes que sofrem de azia.

- Goiaba (50 cal./unid.):
Nem pense em desperdiçar a casca, onde está boa fonte de fibras. Apolpa contém potássio, contribuindo para a manutenção da pressão arterial.

- Jabuticaba (44 cal./15 unid.):

Destaque para o fósforo que, assim como o cálcio, atua na estrutura óssea e dentária da criança.

- Kiwi (46 cal./unid.):

Excelente fonte de vitamina C, reduz o risco de infecção e facilita a cicatrização após o parto.

- Laranja (81 cal./unid.):
Apresenta baixo teor de acidez, por isso é recomendado para as gestantes que sofrem de azia.

- Maçã (80 cal./unid.):

Contém vitaminas do complexo B, que auxiliam na metabolização dos macronutrientes, como as proteínas e os carboidratos. Na gravidez, a necessidade dessas vitaminas aumenta cerca de 30%.



- Mamão (54 cal./fatia):

É famoso por combater a prisão de ventre, a formação de gases que costumam deixar as gestantes indispostas, irritadas e com dor de cabeça.

- Manga (128 cal./unid.):

Tem alto teor de fibras e é rica em betacaroteno, substância que age como um protetor solar interno, evitando as indesejáveis manchas de gravidez.

- Maracujá (28 cal./unid.):

Perfeita combinação de ferro e vitamina C. Enquanto o primeiro previne a anemia, a segunda garante uma boa absorção pelo organismo. Além disso, reduz a ansiedade no fim da gravidez.

- Melancia (24 cal./fatia):

Além da grande quantidade de água e de fibras, a fruta fornece folacina, que atua na produção dos glóbulos vermelhos.

- Melão (9 cal./fatia):

Além de hidratar a mamãe, é indicado para prevenir azia e hemorragia no pós-parto, pois contém ácido fólico.

- Mexerica (70 cal./unid.):

Se consumida com o bagaço, pode ser uma boa fonte de fibras. Já o conteúdo é rico em vitamina C.

- Morango (3 cal./unid.):


Destaque para a vitamina C, cuja deficiência na gravidez tem sido associada ao aumento no risco de infecções e partos prematuros.

- Pêra (68 cal./unid.):

Vale a pena acrescentar ao cardápio, pois combate a prisão de ventre e a retenção de líquido na gestante.

- Pêssego (95 cal./unid.):

Fonte de fibras e de vitamina B5, combate a fadiga, fortalece o sistema imunológico e atua na liberação da energia vinda dos carboidratos.

- Pinha (138 cal./unid.):

Também conhecida como fruta-do-conde, é uma importante fonte de energia, necessária para garantir o crescimento e a manutenção do feto e da placenta.

- Romã (62 cal./unid.):


Possui vitamina A, contribuindo na formação e no desenvolvimento do bebê. A sua falta pode gerar defeitos congênitos e baixo peso ao nascer.

- Uva (4 cal./bago):
Outra boa opção para abastecer-se de ferro, fósforo e, principalmente, de energia.

Um comentário:

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram