segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O pensamento de uma nutricionista sobre o Natal e sua principal tradição: a CEIA NATALINA.

Hoje acordei pensando na tradição natalina e resolvi dividir com vocês....

O Natal é uma das datas mais tradicionais do nosso calendário e consequentemente uma das mais esperadas. Não só pela magia da confraternização em família, troca de presentes, meditação sobre a real estória do Natal e etc, mas também pelos alimentos típicos natalinos CONSUMIDOS E SERVIDOS nessa data.
Pessoas do mundo todo pertencentes ao universo Cristão (ou não) COMEmora o Natal anualmente quase sempre da mesma forma, servindo os mesmos alimentos que cresceu comendo em seus natais infantis.
E quando as crianças "crescem" e aumentam a família? E quando as pessoas se casam e constituem uma nova família com as suas próprias tradições?!?
Na maioria das vezes as tradições se encontram e algumas se somam, enquanto outras se perdem no meio desse novo caminho....porém, nem sempre as tradições somadas são as mais saudáveis e, sequer, são contestadas.
O fato é que, na maioria das vezes, transmitimos aos nossos filhos hábitos que foram incutidos em nossas vidas sem ao menos o questionarmos se serão bons e adequados aos nossos.
Esse seria o momento ideal para reavaliarmos qualitativamente e até mesmo quantitativamente se o que estamos inserindo na cultura e na memória alimentar de nossos filhos está correto e adequado para eles.
Sim! Ao sairmos do papel de filhos e pularmos para o papel de "PAIS" devemos questionar alguns hábitos e costumes que podem comprometer de alguma forma o desenvolvimento e a saúde de nossos filhos e a tradição familiar alimentar é uma das maiores responsáveis por transtornos relacionados à alimentação.
Não podemos esquecer que transmissão de tradições é bem diferente da propagação de antigos vícios.
Fumar, beber e comer muito ou errado são considerados vícios, pois todos eles repercutem negativamente de alguma forma na vida das pessoas.
Atualmente é possível realizar uma ceia de Natal ou Ano Novo gostosa, atraente e muito saudável, basta pesquisar e escolher melhor os alimentos que serão servidos. Na maioria das vezes, o trabalho e o preço são equivalentes, portanto não há desculpas!
Será realmente necessário servir e consumir apenas comidas hipergordurosas, ultra processadas e comer excessivamente para o Natal ser considerado bom?!?

Tenho certeza que não e que a magia da festa não está exclusivamente na ceia servida, mas principalmente na estória de cada alimento, no reencontro com a família e no espírito que só o Natal pode despertar em cada um de nós!!



Boas festas a todos!!!
Um forte abraço,

Débora Rosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram