quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Aspectos nutricionais básicos da AMAmentação - Parte III: Mitos

Mitos relacionados à alimentação que cercam o
período do aleitamento materno

 
Diversos mitos, crendices e costumes cercam o tema AMAMENTAÇÂO. Todo mundo possui algum conselho, uma dica ou uma receitinha mágica, porém, em alguns casos, esses conselhos mais atrapalham o sucesso do aleitamento do que ajudam.
Hoje falarei apenas sobre os MITOS e deixarei para amanhã as VERDADES sobre AMAmentação e as últimas recomendações para o aleitamento bem sucedido.

Mito 1: 
“Meu leite é/ está fraco.”

 
Esse é o campeão no ranking dos maiores mitos e, provavelmente, o mais difícil de ser desmistificado:Essa informação é a maior causadora do desmame precoce e da introdução da fórmula infantil como “complemento”. Essa dúvida geralmente surge devido a necessidade do bebê mamar mais vezes ao dia ou antecipar a mamada num intervalo inferior ao esperado pela mãe. Isso acontece porque a digestibilidade do leite materno é mais fácil e rápida para o bebê, já que esse leite é perfeito para a sua idade e possui quantidades de gorduras, carboidratos e proteínas em proporções aceitáveis para o sistema digestivo do bebê e,ainda, porque sua capacidade gástrica é pequena e tolera pequenos volumes necessitando mamar mais vezes ao dia para suprir sua fome ou necessidade.

Por essa razão, a orientação deverá ser a de oferecer a mama sempre que o bebê requisitar, afinal ele saberá melhor do que nós o momento ideal para receber mais leite.

 
Mito 2:
"É preciso tomar cerveja escura e comer muita canjica para aumentar a produção de leite"

Alguns alimentos são consumidos em grandes quantidades e com certa freqüência por seus populares efeitos lactogênicos ou lactogogos. Alguns desses alimentos fornecem boas doses de proteínas, vitaminas e energia como canjica, sopas e arroz doce, porém ainda são desconhecidas suas propriedades lactogogas na literatura cientifica, porém devido as suas caracterísitcas nutricionais, eles não podem causar nenhum efeito colateral, diferentemente de bebidas alcoólicas. Alimentos como cerveja escura, caldo de carne, caldo de peixe e misturas de tubérculos não passam de tradições e costumes populares, podendo, inclusive, ocasionar a diminuição de produção de leite e alterar o sabor do leite.

Mito 3: “Tenho pouco leite”


Outro mito bastante difundido e totalmente incorreto.Nenhuma mulher produz pouco leite, salvo algumas exceções, o que pode acontecer é a diminuição da secreção de leite devido a rigidez nos horários das mamadas, ou seja, não amamentando em livre demanda (que é a hora que o bebê quer) limitando o estímulo e conquentemente dificultando produção de leite materno ideal.


(Fonte: portalnopi.com)

 
Isto significa que a produção de leite está diretamente relacionada com a sucção do bebê. ''Quanto mais o bebê mamar e sugar mais leite a mulher secretará e poderá oferecer em quantidades suficientes e abundantes ao bebê.

Mito 4:
“Oferecer mamadeira e bicos de silicone facilitam a pega e estimulam a sucção.”



Mais um mito que freqüentemente diminui as chances de sucesso do aleitamento materno exclusivo.

O uso de bicos, mamadeiras e chupetas podem fazer com que o bebê confunda os bico s e os movimentos necessários para a aquisição do leite. Em mamadeiras e chuquinhas o bebê não precisa realizar grandes esforços para obter o leit, já a pega na mama requer um esforço maior dos músculos da face para sugar e extrair o leite.

Ao receber dois estímulos tão distintos e com graus de dificuldades discrepantes, o bebê pode acomodar-se e confundir-se recusando a mama materna e preferindo os outros bicos.
Pesquisas recentes do Ministério da Saúde comprovam que o uso de chupetas e mamadeiras diminuem significativamente o período do aleitamento com reflexo no crescimento e desenvolvimento infantil.
Quanto aos bicos de silicone, eles também devem ser evitados porque estes geralmente geram confusão na hora da pega do bebê ao peito, podendo causar gases devido a grande deglutição de ar e levar ao o ingurgitamento mamário devido a dificuldade de esvaziamento correto das mamas.





Mito 5:
"A fórmula infantil é idêntica ao leite materno."


Muito cuidado com a sugestão de introdução de fórmulas e complementos infantis. Em diversos casos a introdução desses produtos é desnecessária e as possibilidades de sucesso da amamentação não foram esgotadas.

Algumas fórmulas infantis possuem baixo teor de fibras, alto teor de carboidratos para facilitar a aceitação, quantidades superiores às recomendações de gorduras e proteínas podendo tornar a digestão mais lenta e difícil, quantidades inferiores de vitaminas, perdas de minerais no processo de fabricação e armazenamento e ainda podem levar a quadros de cólicas e obstipação intestinal severa.

Lembre-se que o LEITE MATERNO é produzido exclusivamente para os primeiros seis meses de vida, foi preparado durante todo o período gestacional para esse momento e ainda possui todos os componentes nutricionais em quantidades ideais para o desenvolvimento adequado do bebê.

Invista nos cuidados, encontre a melhor posição para vocês dois, busque conforto, insista, procure informações, consulte um especialista na área da amamentação e esgote todas as possibilidades antes de iniciar a oferta das fórmulas. Toda mãe/ mulher é capaz!!


Cada esforço valerá a pena e essas investidas certamente farão muita diferença na saúde e no estado nutricional do seu bebê.






Débora Rosa
Nutricionista Materno Infantil
CRN3 15777

Um comentário:

  1. Gente , fazia uma alimentação muito equilbrada mas nada de cervejas nem outro tipo de bebidas com alcool ou gazes ... dahhhhhhhhhh
    Eu tinha um bom leite e amamentei a minha princesinha até aos 8 meses Ela estava super gosrinha só com o meu leitinho .
    Hoje a minha princesinha está com 15 anos ... linda e muito elgante e super saudável ;)
    Amamentem vossos bébés também <3

    ResponderExcluir

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram