sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aspectos nutricionais básicos da AMAmentação - Parte IV: Verdades

Verdades relacionadas à alimentação durante o aleitamento materno

Há muitos mitos, mas também há inúmeras verdades ao redor do tema AMAMENTAÇÃO.
Eu mesma gosto de diferentes afirmações e acredito com veemência nelas, afinal, após anos de pesquisas científicas, milhares de mães e crianças avliadas e diversos resultados encontrados é que foi possível afirmar que:
O leite materno é o alimento perfeito para o bebê!
Abaixo, vou descrever algumas outras descobertas e novidades do mundo do aleitamento materno relacionadas às práticas alimentares, confira:

Verdade 1:

O leite materno pode ter seu sabor e cor alterados quando a mãe consumir determinados alimentos, influenciando diretamente na aceitação do bebê.

Os alimentos que potencialmente interferem na composição do leite são: alcachofra, cebola, aspargos, nabo, cebola, alho, aipo, alho poro, repolho, brócolis, couve de Bruxelas, couve flor e temperos como hortelã, salsinha e manjericão. Naturalmente eles não necessitam ser excluídos da alimentação da lactante, mas devem ser consumido sem excessos a fim de evitar a recusa do leite por parte do bebê.


Verdade 2
Os líquidos devem ser ingeridos em grandes quantidades antes, durante e após as mamadas mesmo sem a sensação de sede para a reposição da água secretada no leite.

A ingestão adeuqada de líquido nesse período garante a  secreção contínua e abundante de leite materno e ainda assegura a hidratação celular da mamãe.

Prefira água e até mesmo água de coco no lugar de sucos, refrigerantes e chás. Deixe para ingerir sucos no café da manhã, lanches da manhã e da tarde. Quanto aos refrigerantes, suspenda o consumo, especialmente pela quantidade de açúcar presente nos tradicionais e pela presença de adoçante nos dietéticos. Eles também costumam provocar gases e cólicas no bebê devido ao excesso de gás e açúcar.


Verdade 3


Outro aspecto que merece consideração são as cólicas dos recém nascidos.


 Essa é uma condição fisiológica e natural inerente à imaturidade do sistema digestivo do bebê e, em alguns casos, agravada pela alimentação materna. Os seguintes grupos alimentares possuem evidências científicas de episódios de cólicas em bebês que receberam leite de mães que consumiram tais grupos. São eles:

Leguminosas: feijões, ervilhas, grão de bico e lentilha ;
Alimentos crucíferos: repolho, brócolis, cebola, alho, couve-flor, couve de Bruxelas, aspargos e alcachofras;
Frutas cítricas: laranja, maracujá, limão e mexerica.
Apesar dessas evidências o consumo não está proibido e não deve ser evitado até a primeira manifestação de cólicas e choros freqüentes. Para tanto, a cada refeição realizada, a mãe deverá observar e, de preferência, registrar o que foi consumido em cada refeição e ficar atenta às manifestações do bebê nas mamadas subseqüentes.


Verdade 4
Atenção para o consumo de frutas, legumes e verduras.


 Morango, tomate, uva e mexerica são os vegetais mais expostos à ação de agrotóxicos, podendo ser ingeridos pelo bebê desde a gestação via placenta e, após seu nascimento, através do leite materno. Sempre que possível, preferir os alimentos certificados como orgânicos ou comprados diretamente do produtor.






Considerações finais


Observa-se que para garantir o sucesso do aleitamento materno é de extrema importância que a mãe esteja consciente da influência que a alimentação exerce nesse período e, sempre que necessário, recorrer à ajuda especializada, com o intuito de satisfazer as suas necessidades orgânicas e assegurar a qualidade nutricional do seu leite.










NutriTerapia
Nutrição Materno Infantil
Nutrª. Débora Rosa
CRN3: 15777




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram