quarta-feira, 13 de abril de 2011

A licença maternidade está acabando, e agora?

Confira as dicas da Pedagoga e Consultora em 

comportamento familiar Tatiana Chrypko:


Quando chega o fim do período de licença maternidade, muitas mães ficam confusas e indecisas sobre o que fazer, que caminho seguir.
A primeira coisa a ser ponderada neste momento, é a escolha: trabalho x filho. Qualquer que seja sua escolha, faça ela com segurança, tenha certeza e pense nas conseqüências (positivas e negativas).
Optar por deixar a carreira profissional de lado para cuidar do filho em casa, implica em uma futura dificuldade de voltar ao mercado de trabalho e, em alguns casos, muitas mães culpam inconscientemente o filho pelo insucesso de sua profissão. Em contrapartida, optar por voltar a trabalhar e ficar boa parte do dia longe do bebê requer da mãe muita segurança e confiança e, nestes casos, a culpa inconsciente vem para a própria mãe por achar que está “abandonando” seu filho.
Sensações de culpa, abandono, fracasso sempre vão existir, independente de qual escolha você faça. Se elas não forem imediatas, aparecerão futuramente.
Se você optar por voltar ao trabalho existem opções em relação ao bebê. Algumas mães optam por contratar uma babá e deixar o pequenino em casa. Outras recorrem a parentes e avós neste momento. E outras escolhem uma escola, um berçário para o filho. E agora, neste momento decisivo, as coisas também precisam ser ponderadas.
Condições de saúde dos avós e disponibilidade é um requisito essencial para que eles cuidem do bebê enquanto você trabalha. Por enquanto ele pode ser pequenino e apenas dormir e mamar. Mas não se esqueça: o tempo passa, e rápido. O bebê vai crescer, vai querer explorar o mundo e vai dar um pouquinho de trabalho. Caso você escolha deixar com os avós, alerte-os que hoje em dia muitas coisas são diferentes no que diz respeito ao crescimento do bebê. Passar um dia na casa da vovó com todos os mimos e permissidades é uma coisa. Estar lá, se desenvolvendo, formando seu caráter e personalidade é outra. Nada impede dos avós visitarem o nosso site e nele descobrir algumas coisas para fazer e quem sabe, uma mãozinha no desenvolvimento da criança.
Quanto a babá, é primordial que você tenha alguém de extrema confiança.Que você tenha certeza de que ela alimentará seu filho adequadamente, que terá muita paciência para as manhas e dengos de um bebê e que o estimule a se desenvolver. Deixá-lo parado em um canto não é nada correto. Mesmo para o bebê que só fica deitado temos muitos brinquedos disponíveis no mercado exatamente para essa faixa etária.
Por último, em relação a escola, procure uma que você sinta confiança. Às vezes, o berçário certo para o seu filho não é aquele que está na escola mais bonita, mais cara, mais verde. Faça sua escolha pensando na confiança que a escola vai te passar. Se você confiar nas pessoas que vão cuidar do seu bebê, você irá trabalhar mais segura.
Futuramente escreverei sobre quais aspectos são importantes observar quando se trata de optar por uma escola.
Pense com calma, não haja por impulso. Pese tudo e escolha aquilo que você sabe que vai ser melhor para você e para o seu filho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram