quarta-feira, 31 de agosto de 2011

31/08 - Dia do Nutricionista

"Ser nutricionista não é somente cuidar da alimentação ou planejar cardápios, mas também reconhecer e interpretar fatores sociais, fisiológicos e culturais na intenção de oferecer soluções que garantam uma vida mais saudável, equilibrada e prazerosa. Parabéns a todos os nutricionistas, hoje e sempre!!!!!"



E para comemorar esse dia tão especial para nós, nutricionistas, escrevi um artigo  simplificado alertando as futuras mamães para a importância da alimentação durante a gestação.
Espero que gostem...
Um beijo a todos,
Débora Rosa.


É sabido que alimentação saudável durante o período gestacional é fundamental para uma gravidez bem sucedida e tranqüila. Alimentando-se de forma correta, a futura mamãe terá ganho de peso adequado às recomendações obstétricas e prevenirá deficiências de vitaminas e nutrientes que potencialmente prejudicam o desenvolvimento do bebê, além de favorecer o retorno ao peso habitual no pós parto.
A alimentação da futura mamãe deverá seguir as recomendações da pirâmide dos alimentos, salientando-se a importância do aumento de algumas porções para suprir as necessidades aumentadas de nutrientes importantes para a formação e desenvolvimento do bebê e, ainda, garantir o estado nutricional da gestante.
As necessidades protéico-calóricas devem ser adaptadas após minuciosa avaliação nutricional da gestante, tendo em vista fatores como idade, peso pré gestacional, paridade, ganho de peso em outras gestações, tipo de atividade física praticada, entre outros.
Alguns alimentos merecem atenção especial nesse período, são eles: frutas, leite, queijos, carnes, verduras e legumes. São alimentos absolutamente essenciais na dieta da futura mamãe já que são fornecem boas doses de vitaminas e sais minerais. Algumas verduras como o espinafre são excelentes fontes de ferro e ácido fólico que é um nutriente indispensável para a formação do sistema nervoso fetal. 
É indispensável que se coma ao menos quatro porções diárias desse grupo de alimentos, de preferência crus e, sempre que possível, com casca.
Para melhor ilustrar os benefícios de alguns alimento, segue abaixo um dicionário com os principais benefícios das frutas durante a gestação.
Abacaxi (38 cal./fatia):

É fonte de vitamina C, importante para o fortalecimento do sistema imunológico e da placenta. Tanto a fruta como o chá feito com sua casca são indicados para aliviar enjôos.

 Abacate (230 cal./1/2 unid.):

Contém ácido fólico, que previne a má formação do feto e afasta o risco de abortos e partos prematuros. Apesar de todos esses benefícios, a fruta deve ser consumida com moderação pois é muito calórica.

- Ameixa (9 cal./unid.):

Suas fibras evitam a prisão de ventre, muito comum na gravidez. Existe também a versão "passa", que pode ser misturada com água para ser tomada no dia seguinte.

- Banana-nanica (95 cal./unid.):
Boa fonte de vitamina B6 e de potássio que evitam, respectivamente, náuseas e vômitos, típicos do início da gravidez. Protege também das cãibras durante a atividade física e o sono.

- Caju (51 cal./unid.):


Rico em vitamina C, facilita a absorção do ferro pelo organismo, mineral fundamental para a formação das células sangüíneas do bebê. Especialistas afirmam que a fruta tem efeito diurético, reduzindo o inchaço.

- Caqui (59 cal./unid.):

É fonte de vitamina C, importante para o fortalecimento do sistema imunológico e da placenta. Tanto a fruta como o chá feito com sua casca são indicados para aliviar enjôos.

- Carambola (37 cal./unid.):

Oferece vários nutrientes, dentre eles o cálcio, que estocado durante a gestação garante a produção do leite materno.

- Figo (54 cal./unid.):


Apresenta baixo teor de acidez, por isso é recomendado para as gestantes que sofrem de azia.

- Goiaba (50 cal./unid.):

Nem pense em desperdiçar a casca, onde está boa fonte de fibras. Apolpa contém potássio, contribuindo para a manutenção da pressão arterial.

- Jabuticaba (44 cal./15 unid.):

Destaque para o fósforo que, assim como o cálcio, atua na estrutura óssea e dentária da criança.

- Kiwi (46 cal./unid.):

Excelente fonte de vitamina C, reduz o risco de infecção e facilita a cicatrização após o parto.

- Laranja (81 cal./unid.):

Apresenta baixo teor de acidez, por isso é recomendado para as gestantes que sofrem de azia.

- Maçã (80 cal./unid.):

Contém vitaminas do complexo B, que auxiliam na metabolização dos macronutrientes, como as proteínas e os carboidratos. Na gravidez, a necessidade dessas vitaminas aumenta cerca de 30%.

- Mamão (54 cal./fatia):

É famoso por combater a prisão de ventre, a formação de gases que costumam deixar as gestantes indispostas, irritadas e com dor de cabeça.

- Manga (128 cal./unid.):

Tem alto teor de fibras e é rica em betacaroteno, substância que age como um protetor solar interno, evitando as indesejáveis manchas de gravidez.

- Maracujá (28 cal./unid.):

Perfeita combinação de ferro e vitamina C. Enquanto o primeiro previne a anemia, a segunda garante uma boa absorção pelo organismo. Além disso, reduz a ansiedade no fim da gravidez.

- Melancia (24 cal./fatia):
Além da grande quantidade de água e de fibras, a fruta fornece folacina, que atua na produção dos glóbulos vermelhos.

- Melão (9 cal./fatia):

Além de hidratar a mamãe, é indicado para prevenir azia e hemorragia no pós-parto.

- Mexerica (70 cal./unid.):
Se consumida com o bagaço, pode ser uma boa fonte de fibras. Já o conteúdo é rico em vitamina C.

- Morango (3 cal./unid.):

Destaque para a vitamina C, cuja deficiência na gravidez tem sido associada ao aumento no risco de infecções e partos prematuros.

- Pêra (68 cal./unid.):


Vale a pena acrescentar ao cardápio, pois combate a prisão de ventre e a retenção de líquido na gestante.

- Pêssego (95 cal./unid.):

Fonte de fibras e de vitamina B5, combate a fadiga, fortalece o sistema imunológico e atua na liberação da energia vinda dos carboidratos.

- Pinha (138 cal./unid.):

Também conhecida como fruta-do-conde, é uma importante fonte de energia, necessária para garantir o crescimento e a manutenção do feto e da placenta.

- Romã (62 cal./unid.):

Possui vitamina A, contribuindo na formação e no desenvolvimento do bebê. A sua falta pode gerar defeitos congênitos e baixo peso ao nascer.

- Uva (4 cal./bago):

Outra boa opção para abastecer-se de ferro, fósforo e, principalmente, de energia.


Tá esperando o quê para preparar "aquela" salada de frutas e aproveitar o melhor de cada fruta?!?

Bom apetite!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram