segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Mitos e verdades sobre amamentação

Semana Mundial da Amamentação 

Em homenagem a Semana Mundial da Amamentação, meu primeiro post da semana vai para as futuras e recém mamães que estão com todas aquelas dúvidas na cabeça relacionadas a alimentação no período do aleitamento materno.
Para mais esclarecimentos, envie sua pergunta para: contato@nutriterapia.com.br


Comer canjica aumentará a minha produção de leite??
Mitos
Alguns alimentos são consumidos em grandes quantidades e com certa freqüência por seus populares efeitos lactogênicos. Alguns desses alimentos fornecem boas doses de proteínas, vitaminas e energia como canjica, sopas e arroz doce, porém ainda são desconhecidas suas propriedades lactogogas na literatura cientifica. Outros como cerveja escura, caldo de carne, caldo de peixe e misturas de tubérculos não passam de tradições e costumes populares, podendo, inclusive, ocasionar a diminuição de produção de leite, como no caso do consumo de álcool.

O leite materno pode mudar de sabor dependendo da alimentação da mãe?
Verdade
O leite materno pode ter seu sabor e cor alterados quando a mãe consumir determinados alimentos, influenciando diretamente na aceitação do bebê. Os alimentos que potencialmente interferem na composição do leite são: alcachofra, cebola, aspargos, nabo, cebola, alho, aipo, alho poro, repolho, brócolis, couve de Bruxelas, couve flor e temperos como hortelã, salsinha e manjericão. Naturalmente eles não necessitam ser excluídos da alimentação da lactante, mas devem ser consumido sem excessos a fim de evitar a recusa do leite por parte do bebê.

Preciso beber água para aumentar a minha produção de leite??
Verdade
Os líquidos devem ser ingeridos em abundância antes, durante e após as mamadas mesmo sem a sensação de sede, para a reposição da água secretada no leite e envolvida na sua síntese e para auxiliar na produção da próxima mamada.

A alimentação da mãe pode causar cólica no bebê?
Depende!
Outro aspecto que merece consideração são as cólicas dos recém nascidos. Essa é uma condição fisiológica e natural inerente à imaturidade do sistema digestivo do bebê e, em alguns casos, agravada pela alimentação materna. Os seguintes grupos alimentares possuem o maior número de relatos de episódios de cólicas em bebês que receberam leite de mães que consumiram tais grupos, mas nenhum alimento ou grupo possui comprovação científica de que de fato causam cólicas em recém nascidos. São eles:

Leguminosas: feijões, ervilhas, grão de bico e lentilha ;
Alimentos crucíferos: repolho, brócolis, cebola, alho, couve-flor, couve de Bruxelas, aspargos e alcachofras;
Frutas cítricas: laranja, maracujá, limão e mexerica.
Apesar dessas evidências o consumo não está proibido e não deve ser evitado até a primeira manifestação de cólicas e choros freqüentes. Para tanto, a cada refeição realizada, a mãe deverá observar e, de preferência, registrar o que foi consumido em cada refeição e ficar atenta às manifestações do bebê nas mamadas subseqüentes.

Quando não consumo alimentos orgânicos, posso transferir agrotóxicos para o bebê através do leite materno?
Verdade
Atenção para o consumo de frutas, legumes e verduras. Morango, tomate, uva e mexerica são os vegetais mais expostos à ação de agrotóxicos, podendo ser ingeridos pelo bebê através do leite materno. Sempre que possível, preferir os alimentos certificados como orgânicos ou comprados diretamente do produtor.

Considerações finais
Para garantir o sucesso do aleitamento materno é de extrema importância que a mãe esteja consciente da influência que a alimentação exerce nesse período e, sempre que necessário, recorrer à ajuda especializada, com o intuito de satisfazer as suas necessidades orgânicas e assegurar a qualidade nutricional do seu leite.



Nutriterapia
Assessoria Nutricional Materno Infantil
Nutrª. Débora Rosa
CRN3: 15777

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram