sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Por que a alimentação durante a gestação é tão importante?




Na semana de comemoração do dia da gestante (15/08), encerro a semana com um texto sobre a importância da alimentação nessa fase tão peculiar da vida da mulher. 
Mulheres que se alimentam de forma adequada no período pré concepcional, ou seja, antes da gestação e, principalmente, durante asseguram o desenvolvimento adequado do bebê, preservam suas reservas nutricionais e garantem o ganho de peso ideal durante toda a gravidez prevenindo inúmeras complicações decorrentes do ganho excessivo de peso.
Toda mulher que ganha peso durante a gestação a partir de uma dieta equilibrada e nutricionalmente adequada gera bebês mais saudáveis, recupera mais facilmente seu peso pré gestacional e ainda garante suas reservas nutricionais para o período da amamentação. Além de todos esses benefícios, estudos recentes mostram que mulheres com dietas balanceadas durante a gestação geram crianças com melhor tolerância alimentar na fase da introdução dos alimentos.
Para que o ganho de peso seja adequado às recomendações obstétricas é necessário que a mulher receba uma orientação individualizada a partir de seus hábitos alimentares e de seu estado nutricional prévio. Será necessário conhecer o histórico nutricional da mulher, suas práticas e costumes alimentares, número de gestações, consumo habitual, preferências e aversões alimentares para posteriormente serem realizados cálculos para definição de consumo calórico total diário e estimativa de peso total ideal gestacional.
Para um bom desenvolvimento gestacional é necessário que as necessidades nutricionais do binômio mãe-filho sejam atingidas, pois será a partir de nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e proteínas, que o desenvolvimento do bebê acontecerá de forma perfeita e adequada.

As recomendações de macro e micro nutrientes estão aumentadas durante toda a gravidez e na amamentação, pois fazem parte da formação e do crescimento do bebê principalmente proteínas, gorduras, cálcio, fósforo, vitamina D,vitaminas do complexo B, em especial B1, B6 e B12, ácido fólico,zinco, ferro e muita energia proveniente dos carboidratos.
Alguns alimentos merecem atenção especial nesse período, entre eles estão as frutas frescas, leite, queijos, peixes, carnes magras, verduras, cereais integrais e oleaginosas. Esses grupos alimentares são absolutamente essenciais na dieta da gestante já que fornecem boas doses de vitaminas, minerais e fibras quando consumidos regularmente e em quantidades ideais.
Alguns vegetais folhosos de coloração verde escura são excelentes fontes de ferro e ácido fólico, nutriente indispensável para a formação do sistema nervoso fetal. Frutas cítricas oferecem grandes quantidades de vitamina C, favorecendo o aumento da absorção de ferro. É indispensável que se coma ao menos 3 porções diárias desses grupos alimentares, de preferência crus e, sempre que possível, com casca. Salmão, atum, sardinha, camarão e outros frutos do mar são uma saborosa e saudável opção ao tradicional franguinho grelhado, especialmente no verão quando compõem pratos leves e saudáveis.
Vale lembrar que cada gestante possui uma necessidade nutricional e o estado nutricional pré-gestacional da mulher pode interferir no processo normal da gestação. Gestantes que apresentam uma reserva inadequada de nutrientes, aliada a uma ingestão dietética insuficiente, poderão ter comprometimento do crescimento fetal, e conseqüentemente, do peso ao nascer.
A alimentação equilibrada ainda é a melhor forma de preservar o estado nutricional da mãe e do bebê. Além de prevenir carências e excessos nutricionais, garantem a manutenção das reservas maternas para boa recuperação no período após o parto e durante o aleitamento.
Converse com seu obstetra ou consulte um nutricionista para uma gravidez segura, saudável e tranqüila.

                           Feliz dia da gestante a todas as gravidinhas desse Brasil.
Débora Rosa
Nutriterapia





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram