quinta-feira, 6 de março de 2014

Um dia na cultura aborígene

Oioioi pessoal, olha eu aqui de novo trazendo mais novidades da minha estadia em Sydney.
Living in Harmony Festival 2014 - Sydney - Austrália 
Durante o mês de março acontece o Living Harmony Festival, um evento promovido pela prefeitura da Sydney com o intuito de aproximar moradores e visitantes das multi culturas existentes em Sydney.
O festival inclui workshops, foruns, tours e exibicões que exploram a herança multicultural existente no país.
Ontem (para nós), dia 06/03, eu e minha amiga Karen fomos a um workshop sobre a cultura feminina na sociedade aborígene. Mais uma das grandes experiências da minha vida!!!
Eu e minha amiga Karen no workshop
Os aborígenes da Austrália são descendentes de emigrantes africanos que povoaram a Ásia e chegaram a Austrália utilizando canoas e embarcações.
Os Ingleses colonizaram a Austrália no século XVIII e encontraram 300 mil aborígenes divididos em mais de 500 grupos, uns com apenas 100 membros, outros com 1500, dependendo da diversidade e abundância de recursos alimentares. Falavam 200 línguas e hoje falam pouco mais de 20 dialetos.
O primeiro contato entre ingleses e aborígenes não foi dos mais amistosos e deixou profundas marcas nessa população. Houve grandes massacres, leis discriminatórias e a religião quis apagar os traços dos cultos aborígenes. Hoje em dia, a Austrália possui uma média de 20 milhões de habitantes e os aborígenes são apenas 200 mil.
Instrumentos utilizados em cultos e rituais aborígenes
A cultura aborígene caracteriza-se pela forte união de todos os seres da natureza com o ser superior que integra tudo. Nesta concepção, o ser humano não é superior, mas partilha a natureza com os demais seres, sendo todos indispensáveis. Por este motivo, os humanos devem honrar a natureza em tudo o que fazem.
Demonstração e explicação sobre as pinturas e marcas aborígenes
Os aborígenes usam a arte como meio de comunicação. Os instrumentos de trabalho são feitos com maestria e destreza e levam pinturas e inscrições, onde contam as histórias do povo, do clã ou da pessoa e se evoca a relação com as divindades. As pinturas do corpo ou em cascas de eucalipto usam como tema a mitologia ou retratam cenas do cotidiano.
A música é, sobretudo, vocal. O instrumento musical é o yidaki (didgeridoo), que é a representação da mãe serpente, a criadora da terra e que consiste em um tronco oco que amplia sons vocais. Para marcar o ritmo das mímicas e das danças, usam bastões.

O evento de ontem apresentava um pouco sobre a cultura feminina aborígene, abordando temas como tradições, danças, hábitos alimentares e importância da família. Infelizmente, o evento que fala sobre a cultura masculina na sociedade aborígene é permitido apenas para homens e esse não poderei ir... :(

Seguem abaixo algumas fotos dessa experiência incrível e transformadora.
Foto com o grupo após dança típica aborígene - o gesto demonstrado simboliza uma Ema, animal sagrado e muito respeito na cultura aborígene.
Bandeira aborígene localizada no subúrbio de Redfern - local onde fica o centro de cultura aborígene em Sydney.
Cartaz na entrada do centro de cultura aborígene

Entre 1910 e 1970, o governo da Austrália retirou 100 000 crianças aborígenes - a maioria de pele clara, ou seja, mestiços - dos pais e internou-as em centros educativos para incutir nelas a cultura ocidental.
Esse tipo de ação foi chamada de "Política de Assimilação". Os australianos chamam de "geração roubada" a essas crianças. Recentemente, em 2008, John Howard, primeiro-ministro da Austrália, lamentou publicamente esse fato, mas não quis pedir desculpas oficiais, pois isto iria acarretar em milhões de dólares de indenizações para as famílias ou seus descendentes. 

"It's good to say sorry" - 
Cartaz referente ao último evento acontecido com os aborígenes com a retirada de seus filhos para transferência da cultura britânica.

Meu dia como aborígene... :)

Até a próxima, pessoal.
Beijo grande,
Débora Rosa.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Abor%C3%ADgene_australiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Newsletters

Facebook

Twitter

Instagram